Inefável Solilóquio


Regalo
30 julho , 2007, 0:26
Filed under: Ao Público

Tenho percebido o quanto as pessoas chegam ao blog por causa de suas pesquisas nos sites de buscas pelo adjetivo inefável e o substantivo solilóquio. Assim, para ajudar aqueles que muito movimentam o meu mal visitado blog, decidi escrever finalmente suas definições.

I.ne.fá.vel
adjetivo comum de dois gêneros

1) Que não pode ser expresso verbalmente; Indizível, indescritível.
2) É um termo utilizado identificar algo de origem divina ou transcendental e com atributos de beleza e perfeição tão superiores aos níveis terrenos que não pode ser expresso em palavras humanas. Por esta razão algumas seitas e religiões utilizam o termo inefável para representar a divindade máxima dentro de uma hierarquia. Os Gnósticos o chamam assim para diferencia-lo do Deus do cristianismo e do judaísmo. Para eles o Inefável deu origem a Sofia e esta, conseqüentemente, ao Demiurgo e aos todos Arcontes.

Etimologia
Grego: Da palavra anekdiegetos.

So.li.ló.quio
substantivo masculino

1) Ato de alguém conversar consigo próprio;
2) Rubrica: Literatura, teatro.  Recurso dramático ou literário que consiste em verbalizar, na primeira pessoa, aquilo que se passa na consciência de um personagem. Opõe-se ao monólogo interior, porque o personagem, no solilóquio, articula os seus pensamentos de forma lógica, coerente.

Etimologia
Latim: Soliloquìum, palavra cunhada por santo Agostinho (354-430) para o seu Liber Soliloquium. Do latim solus (sozinho) + loqui (falar).

Fontes:
Wikipedia.org
Dicionário Houaiss de Língua Portuguesa

Eu diria que o adjetivo que dá qualidade ao substantivo e a interação entre ambos gera um significado complexo e ambíguo. Poderia resumir por silêncio e solidão. Ou impotência e vontade, comunicação e censura. Escolha ao seu bel-prazer.

 

Juliana dos S. de A. Sampaio

Anúncios